segunda-feira, setembro 05, 2005

Bourbon Street Blues

Troy Tallent em Nova Orleães, 3.Setembro.2005                 © Carolyn Cole/LA Times

«Troy Tallent, de 49 anos, senta-se no seu amplificador portátil, à espera de algumas moedas, enquanto os riffs de blues da sua guitarra Pignose ecoam pelas ruas agora desertas, mas que nem há 10 dias ainda fervilhavam com turistas.

"Vou ficar por cá, adoro esta cidade, vim por causa da música e ficarei por causa dela. Aceito o bom e o mau." Apenas se vê um punhado de residentes do elegante bairro que foi largamente poupado pelo furacão Katrina e a subsequente inundação.

"Não estou a ganhar muito, apenas um dólar ou dois. Tento arranjar alguns antibióticos para a minha companheira, que está doente", disse o músico, que revelou estar a planear gravar um disco com Willy De Ville, em Amsterdão. "Toco aqui, quer me corra bem ou não. Às vezes faço algum dinheiro, outras vezes não. Agora não estou a conseguir grande coisa."

Tallent disse que ele - tal com dezenas de milhares de outros residentes de Nova Orleães - não abandonou a cidade porque tinha de tomar conta da mulher, do cão, do gato e da casa. "Também toco em clubes da Bourbon Street, mas adoro tocar nas ruas porque aqui encontro pessoas fantásticas."» (In The Tocqueville Connection. Também referido pelo Jornal de Notícias.)

Ouça Troy Tallent e Wally Kay em "I Ain't Superstitious" e "No Soap, No Hope Blues" (Crédito: "A Bass Place").

Links das músicas:
http://www.ouidouxjazz.com/mp3/winecellar14.mp3
http://www.ouidouxjazz.com/mp3/winecellar15.mp3

Sem comentários: