domingo, fevereiro 20, 2005

Terra dos sonhos


Decorreu ontem na sala do antigo cinema Roma, Lx, um concerto de Jorge Palma, a solo, com a usual participação do filho - Vicente Palma - em algumas das canções. Uma das surpresas foi verificar que o jovem está bem mais seguro, voz mais firme, e que já está mais alto do que o pai, literalmente (mas não musicalmente, claro).

Ouvimos canções de toda a carreira de Jorge Palma, com especial incidência no disco mais recente, 'Norte':
"Escuridão (vai por mim)"
"Os demitidos"
"Tama-ra" (já apresentada no concerto do CCB)
"Valsa de um homem carente"
"D. Quixote foi-se embora" e
"Passeio dos prodígios"
Nesta última canção Jorge Palma fez uma das suas brincadeiras: principiou com uns acordes ao piano que anunciavam a canção, mas começou a cantar: "I am just a poor boy, though my story's seldom told" ('The Boxer') e só depois transitou para "Vamos lá contar as armas, tu e eu, de braço dado", terminando a canção com o notável "Lie-la-lie ..." do referido 'The Boxer'. Acabada a canção explicou que tinha telefonado ao Paul Simon a confessar que lhe tinha plagiado uns acordes, mas que o Paul lhe dissera: "don't worry", pois também já tinha feito o mesmo.

À entrada do concerto encontrava-se à venda o novíssimo livro "Na terra dos Sonhos", da editora Quasi, que inclui as letras de todas as canções da autoria de Jorge Palma, bem como uma listagem de todos os discos em que Jorge Palma participou a qualquer título, ou que simplesmente incluiram canções suas: um total de 180 discos de que são apresentadas as capas e fichas técnicas. Lá vem incluída a sua primeira composição gravada comercialmente, no single de 1971 dos Sindicato, "Smile":
Smile, now you're looking to the sun
Smile, 'cause your life has just begun
Canção em co-autoria com Ricardo Levy (ex- Jets) e Vitor Mamede (ex-Chinchilas).

No livro, organizado por João Carlos Callixto, estão igualmente incluídas letras em inglês, inéditas, como a que foi depois livremente traduzida para português na canção "D. Quixote foi-se embora". O livro acolhe também pequenos textos de Mafalda Veiga e Jorge Silva Melo.

2 comentários:

Karamelisses disse...

Visito este blog há já algum tempo, não por ter alguma afiniade proxima com a dita "pura economia", mas porque este se tornou uma referência para mim, deste o iniciei esta minha viagem pelos blogs (nacionais e internacionais). Aqui não me deparo com as banais criticas destrutivas com que me deparo na maioria dos blogs, aqui quando existem criticas todas elas estão baseadas num construtivismo inteligente. E isto é de enaltecer o autor das mesmas!!!

Quando mes "desloco" ao "Pura Economia" sei que vou aprender sempre algo novo... e é isto que dá o sentido á vida... aprender.. aprender... e aprender ainda mais!!

Foi com grande surpresa que vi este texto sobre o Jorge Palma, quem eu (e muitos outros portugueses) denomino de Mestre! A humildade, a pureza com que escreve e a sensualidade que usa na interpretação da sua musica tornam esta voz e composição "mestrada" únicas.

Foi bom encontrar aqui o Palma nesta viagem, e na próxima semana lá o temos novamente no Auditório Olga Cadaval em Sintra...

Um beijinho e boa continuação de "puras enconomias!!!

J.A. disse...

Obrigado. A designação "pura economia" é uma brincadeira em relação ao enfatuamento "científico" da tribo dos economistas. Como diz um amigo meu: "Economia pura - isso existe ?". Felicito-a igualmente pelo seu blog.