segunda-feira, julho 27, 2009

Piratas da Somália: modelo de negócio

clique para ampliar
     «Os duros pescadores da denominada costa da Somália são criminosos sem remorso, sem dúvida, mas são mais do que isso: são inovadores. Enquanto os piratas de gerações anteriores se contentavam com um bote carregado com o saque, os flibusteiros do Golfo de Aden mantêm navios captivos para trocar por resgates. Esta etsratégia tem sido fabulosamente bem sucedida: o retorno típico é actualmente 100 vezes superior ao que era em 2005 e o número de ataques disparou.
     «Como qualquer outro negócio, a pirataria Somali pode ser explicada em termos puramente económicos. Ela floresce ao explorar os incentivos criados pelo comércio marítimo internacional. As outras partes envolvidas — armadores, seguradoras, segurança privada, e numerosas marinhas de guerra nacionais — ganham mais (ou, pelo menos, perdem menos) a tolerá-la do que a combatê-la seriamente. Quanto aos piratas, as suas crescentes exigências são apenas um método de formação de preços, um modo de medir quanto é que o mercado suporta pagar.»
ler o original (em inglês)   »»

3 comentários:

O Jornal Tresler e a Espiral do Silêncio disse...

Uma interessante maneira de ver a situação.
Mas a violência permanece.

abraços

Andre yala disse...

visita o meu blog, espero que o aches tao interessante quanto achei o teu.~
parabéns e continua a levar a ideia para a frente.
http://osomdaeconomia.blogspot.com/

Thiago Holanda disse...

Interessante, acho que depois dessa vou fazer um estudo sobre o ganho do tráfico no Rio de Janeiro (rsrsrs). Parabéns pelo Blog.

Thiago Holanda
www.thiagoholanda.tk