terça-feira, janeiro 18, 2005

De pedra e cal...


Nos últimos dias verificou-se um crescendo de declarações de ministros e secretários de estado, anunciando medidas e intensões políticas para prazos que ultrapassam as próximas eleições. Exemplos: a declaração do secretário de Estado da Saúde, Patinha Antão, de que "quer duplicar a quota de mercado dos genéricos nos próximos dois anos"; o anúncio, pelo ministro do Ambiente da criação do Instituto do Litoral, ou as declarações do ministro das Obras Públicas, António Mexia, acerca de mais duas travessias sobre o rio Tejo, assunto sobre o qual prestará "mais esclarecimentos daqui a um mês" (ou seja, à boca das urnas).

O que tudo isto parece configurar é uma estratégia de marketing eleitoral, no sentido de dar a ideia de que os actuais governantes continuarão de pedra e cal no governo durante os próximos anos. Santana Lopes já tinha em tempos ensaiado qualquer coisa deste tipo ao anunciar medidas para os próximos 10 anos.

Duvido muito que este truque tenha algum efeito prático, mas esta gente não tem muito a perder e por isso todos os estratagemas são de esperar - e creio que iremos assistir a mais originalidades - destas e doutras - até às eleições.

1 comentário:

hamy-pros-friends disse...

sim, não t"em muito a perder eles sabem disso, por isso estratagemas em vez de estratégias