sábado, agosto 13, 2005

Corrupção

«Mostramos que a probabilidade de uma empresa efectuar pagamentos adicionais irregulares é mais alta em ambientes com baixa incerteza relativamente à corrupção, e mais baixa onde a monitorização é mais efectiva. Mais especificamente: a frequência dos subornos aumenta quando as empresas sabem antecipadamente qual a dimensão dos subornos e acreditam que o serviço relacionado com o suborno será efectivamente fornecido, uma vez que o pagamento seja realizado. Adicionalmente, a frequência de subornos diminui se as empresas tiverem possibilidade efectiva, através de canais oficiais ou quadros superiores, para obter tratamento adequado sem necessidade de efectuar pagamentos não-oficiais.»

"Bribery and the Nature of Corruption"
Ana Herrera e Peter Rodriguez (2003)

«[...] Em muitos países, a economia paralela não consegue sobreviver sem subornos. É frequentemente impossível, ou muito dispendioso, para uma empresa ou um indivíduo, escapar às restrições e interdições, e fazer negócios, sem subornar os responsáveis públicos. Proibir o suborno nunca é perfeitamente concretizável em termos e aplicar a lei, mas aumenta o risco e o custo dos subornos, bem como das transacções que eles viabilizam.
[...]
«Em que é que um suborno é diferente de um qualquer outro preço de mercado? Um preço de mercado assemelha-se a um suborno que o comprador entrega ao vendedor para o persuadir a partilhar algo (ou fazer algo) que o primeiro deseja. Contudo, o termo "suborno" é usado usualmente para descrever uma situação onde a troca é secreta, porque o subornado está contratualmente proibido de vender aquilo que vende. Oferecer subornos é muitas vezes legítimo, mas aceitá-los é frequentemente interdito. Por exemplo: os empregados de restaurante podem aceitar os subornos designados como "gorjetas" que os clientes habituais lhes dão, enquanto que os gestores de compras estão usualmente (embora não sempre, nem em todos os países) proibidos de aceitar prendas dos fornecedores. Portanto, em muitos casos, um suborno é simplesmente um preço que não pode ser aceite pelo subornado por razões contratuais.»

"In Defense of Bribery"
Pierre Lemieux, Mises Economics Blog

2 comentários:

jfgmmg disse...

"Mais especificamente: a frequência dos subornos aumenta quando as empresas sabem antecipadamente qual a dimensão dos subornos e acreditam que o serviço relacionado com o suborno será efectivamente fornecido, uma vez que o pagamento seja realizado. Adicionalmente, a frequência de subornos diminui se as empresas tiverem possibilidade efectiva, através de canais oficiais ou quadros superiores, para obter tratamento adequado sem necessidade de efectuar pagamentos não-oficiais."


Hmmm, temos candidatos para o prémio Ignóbil 2005....

J.A. disse...

Ig Nobel Prize:
http://www.improbable.com/ig/ig-pastwinners.html