sábado, abril 16, 2005

Economia, confiança e imageologia cerebral


O campo da neuroeconomia continua a revelar-se uma fonte de descobertas: a Science Magazine do corrente mês inclui o interessante paper "Getting to Know You: Reputation and Trust in a Two-Person Economic Exchange".

É uma experiência em que se simulam, através do "jogo da confiança", as mútuas reacções de um investidor e de um procurador a quem este confia uma certa quantidade de dinheiro; o procurador, a seguir, retorna ao investidor parte da verba que recebeu e então é a vez deste lhe confiar nova quantia, e assim sucessivamente.

Através de técnicas de imageologia (observação da activação de zonas do cérebro) conseguiram-se estabelecer relações significativas, modelizando nomeadamente comportamentos "generosos", "neutros" ou "maldosos" por parte do investidor para com o procurador e analisando as reacções deste último. É interessante o modo como o procurador, ao fim de algum tempo, consegue antecipar as decisões do investidor, hipótese consistente com as descobertas de António Damásio, já aqui referidas - e também coerente com os pressupostos da "racionalidade limitada".

Outra revelação interessante é a da assimetria entre as situações em que o investidor manifesta "mais confiança" ou "mais desconfiança": a primeira situação exerce um efeito maior do que a segunda no comportamento do procurador.

Os investigadores salientam a importância que as suas conclusões podem ter para a compreensão de patologias como a esquizofrenia ou o autismo. Mas também o comportamento dos agentes económicos pode ser melhor entendido com estas descobertas.

Quem quizer aceder ao artigo na Science, terá de o pagar; mas o "pura economia" está em condições de facultar o acesso gratuito aqui. (Bem, na realidade, a divulgação do texto e do link devo-o ao blogue de Kevin McCabe, o Neuroeconomics).

2 comentários:

Luís Aguiar-Conraria disse...

Muito interessante. Havia algum economista envolvido neste estudo?

J.A. disse...

Um dos autores do artigo, Colin Camerer, é economista, do Caltech; publicações aqui:
http://ideas.repec.org/e/pca47.html

Um paper interessante de Camerer sobre "A Cognitive Hierarchy Model of Games" encontra-se aqui:
http://groups.haas.berkeley.edu/simulations/ch/qje1.pdf
(texto onde se abordam também os jogos interactivos, do tipo que foi objecto da simulação referida no post inicial)

Outros textos que referem experiências relacionadas com o post inicial:
http://www.csulb.edu/~kmacd/decision.htm
http://www.livejournal.com/users/infomagic/97973.html