quinta-feira, dezembro 16, 2004

"Afasta de mim esse microfone..."


O inefável Secretário de Estado adjunto do MAI, P.P. Coelho, foi almoçar com os bombeiros, entusiasmou-se e desatou um discurso inflamado, tipo-Primeira-República, onde se declarou "envergonhado" com o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil.

Cabe perguntar: então este governo só descobriu isso ao fim de 4 meses? E de quem é a culpa? Do governo anterior ? Ou foi apenas a destrambelhada reacção do governante à acusação que lhe fora feita pelo anterior responsável do SNBPC, que se demitiu porque, entre outras coisas, o inefável Secretário não reunia com ele ? É que se tivesse reunido podia ter "descoberto" a vergonha mais cedo...

Acontece que uma rádio local - a Rádio Portalegre - divulgou o "discurso almoçado" do inefável Secretário e este reagiu dizendo que não autorizou a gravação das suas palavras, que são excertos retirados do contexto, e que a gravação foi recolhida clandestinamente numa reunião de trabalho (e afinal era um almoço e o repórter estava devidamente identificado, segundo revelou a Rádio Portalegre).

Eu penso que todas as declarações de políticos em funções, em reunião ou não, podem e devem ser divulgadas. Só quem tem discursos diversos para diferentes contextos é que pode recear a divulgação pública das suas palavras.

Notícias sobre este assunto no Diário de Notícias e na Rádio Portalegre.

3 comentários:

Hugo Garcia disse...

Concordo
se ele está em trabalho quem discutir com o mesmo tem todo o direito de partilhar o conteúdo dessa discussão.

Embora existam limites claros no que diz respeito a questões pessoais e assuntos não relacionados com as funções profissionais.

J.A. disse...

Neste caso nem sequer existem dúvidas quanto ao interesse público das tais declarações: o Secretário denunciava que «o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC) não tinha e não tem nenhum estudo criterioso para saber que dispositivo, ameaças e riscos existem em Portugal e com que meios os pode combater».

Agora leia-se o que o Secretário disse ao DN: «essas gravações foram recolhidas clandestinamente durante uma reunião de trabalho, pelo que têm um peso diferente do que se tivessem sido prestadas a órgãos de comunicação»

Peso diferente ? Neste governo não são só os respectivos membros que se contradizem uns aos outros: há quem se contradiga a si próprio...

Joao Pedro Dias disse...

Meu caro Amigo, saber-me-á esclarecer se o dito Secretário de Estado falou antes ou depois do almoço? Era importante para eu formar a minha opinião sobre a coisa. Se puder esclarecer-me, agradeço! Cumprimentos! JPD