domingo, outubro 14, 2007


Manuela Arcanjo

Ao mesmo tempo que no Quelhas se inicia uma sessão sobre o Nobel da Economia de 2007 (17 Outubro, 15 horas), na Ordem dos Médicos a professora Manuela Arcanjo fará uma conferência sobre o tema: «Influência dos meios de controlo electrónico de presenças sobre a produtividade – a versão do economista».

Já antes tinhamos o "imperialismo da Economia" (o individualismo metodológico dos economistas a "explicar" tudo e mais alguma coisa). Depois veio a Lei que permite aos economistas entrar para o território da medicina, e agora vemos uma ilustre economista a ensinar os médicos a picar o ponto. Como os médicos manifestaram opinião contrária ao "ponto electrónico", fica a curiosidade de saber se a professora Manuela Arcanjo lhes irá dar razão.

Adenda - ao reler o texto ocorreu-me o seguinte: a expressão "a versão do economista" não será demasiadamente relativista (no sentido em que haveria também a versão do médico, do jurista, do informático...)? E acaso todos os economistas pensam o mesmo sobre este assunto?

3 comentários:

Inácio Rodrigo de Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Inácio Rodrigo de Castro disse...

Eu creio que essa teoria não possa ser generalizada.Porem ao meu redor,o
ponto de vista é o mesmo.Parabéns pelo posicionamento,pois são poucas palavras
que fazem todos pensarem de formas diferentes.Estarei acompanhando suas
matérias. "Inácio Rodrigo de Castro" Grupo Catena&Castro

Inacio Rodrigo de Castro disse...

Procuramos nos aperfeiçoar todos os dias para usar os conhecimentos e obter sucesso nas nossas vidas e nas nossas empresas.Indico alguns livros sobre Liderança, Marketing e Business to Business, relacionados abaixo.Selecionei algumas celebridades do mundo Business. "Inácio Rodrigo de Castro" Grupo Catena&Castro

Michael Porter, 59 anos

Doutor em economia, professor da Harvard Business School, dos Estados Unidos, é um dos maiores especialistas do mundo em estratégia e competitividade. É autor de 17 livros, entre eles Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência (ed. Campus, 89 reais, 448 págs.), publicado em 1980 e que já está na 60ª reimpressão. A obra foi traduzida para 19 idiomas

Bill Gates, 55 anos

Fundador da Microsoft, a maior empresa de software do mundo. Sua fortuna está avaliada em 60 bilhões de dólares, cerca de 128 bilhões de reais

C.K Prahalad, 59 anos

O consultor indiano, que vive nos Estados Unidos desde 1972, é professor de estratégia empresarial e negócios internacionais na Universidade de Michigan e especialista em estratégia. É autor do livro A Riqueza na Base da Pirâmide (ed. Bookman, 74 reais, 392 págs.), no qual mostra o potencial dos mercados em países pobres e de grande população

Tom Peters, 63 anos

Ph.D. em Business Administration pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, é autor de mais de 10 livros sobre administração. Juntos, venderam mais de 6 milhões de cópias e foram traduzidos para 20 idiomas. Sua mais recente obra, publicada em 2004 no Brasil, é Reimagine! Excelência nos negócios numa era de desordem (ed. Futura, 75 reais, 352 págs.), no qual faz um alerta para as organizações de hoje que estão despreparadas para as oportunidades de negócios do futuro

Jack Welch, 70 anos

Foi CEO da General Eletric de 1981 a 2001 e é um dos executivos mais admirados do mundo por suas estratégias inovadoras e seu estilo de liderar. Seu livro mais novo é O estilo Jack Welch de liderança (ed. Campus, 45 reais, 236 págs.), publicado no ano passado no Brasil

Jim Collins, 48 anos

Estudioso das empresas que atingiram a excelência, lecionou por sete anos na Faculdade de Administração da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, até 1995. Hoje trabalha em seu próprio laboratório de pesquisa, no estado do Colorado. Um de seus livros, Feitas para durar - Práticas bem-sucedidas de empresas visionárias (ed. Rocco, 54,50 reais, 408 págs.), publicado em 1995 no Brasil, ficou na lista dos mais vendidos da Business Week por mais de quatro anos

Philip Kotler, 74 anos

Economista, professor da Kellogg Graduate School of Management, na Universidade Northwestern, em Chicago, nos Estados Unidos, é considerado um dos mais brilhantes teóricos de marketing. É autor do livro Administração de Marketing (ed. Prentice-Hall, 112,50 reais, 776 págs.), publicado em 1967 e que já está na 12º edição

Henry Mintzberg, 66 anos

Doutor em gestão pelo MIT Sloan School of Management, em Massachusetts, nos Estados Unidos, é professor da McGill University, em Montreal, no Canadá. Foca seu trabalho em estratégia empresarial. Seu mais recente livro, publicado este ano no Brasil, é MBA? Não, obrigado! (ed. Bookman, 74 reais, 428 págs.), no qual discute os cursos de formação de novos administradores

Kjell Nordstrom, 41 anos, e Jonas Ridderstrale, 33 anos

Autores do livro Funky Business - Talento movimenta capitais (ed. Makron Books, 68,50 reais, 248 págs.) e professores da Faculdade de Economia de Estocolmo, na Suécia, falam sobre as pessoas e os talentos como vantagem competitiva

Charles Handy, 73 anos

Pensador irlandês, desenvolve trabalhos que abordam o mundo em transformação e o reflexo de tais mudanças nas empresas. Foi diretor do Center for Management Development da London Business School, na Inglaterra, no ano de sua fundação, em 1975. No livro A era da irracionalidade (ed. Cetop, 111 reais, 243 págs.), publicado em 1989, já falava da necessidade de as empresas se adaptarem às mudanças que o mundo enfrentava, com novos perfis profissionais e novos padrões de carreira

Richard Branson, 57 anos

O empresário britânico é fundador do Virgin Group, um império que reúne, entre outros negócios, uma empresa aérea, uma operadora de turismo, uma financeira e um supermercado multimarca de automóveis, além das gigantescas lojas de discos e da gravadora que deram origem ao grupo e que fizeram a sua fama mundo afora

Scott Adams, 48 anos

O cartunista americano é criador do personagem Dilbert, cujas tiras satirizam o mundo corporativo e são publicadas em mais de 2.000 jornais em 61 países

Thomas Stewart

É autor do livro Capital intelectual (ed. Campus, 69 reais, 264 págs.), publicado no Brasil em 1997. Foi pioneiro na área do capital intelectual numa série de artigos publicados na revista americana Fortune. Atualmente é editor-chefe da revista Harvard Business Review. Seu mais recente livro, publicado em 2003 e ainda sem tradução para o português, é The Wealth of Knowledge: Intellectual Capital and the Twenty-first Century Organization (ed. Currency, 15,95 dólares, 400 págs.)

Gary Hamel, 51 anos

Doutor em gestão internacional, é professor de gestão estratégica e internacional na London Business School, na Inglaterra, e presidente da Strategos, uma empresa de consultoria com sede em Chicago, nos Estados Unidos. É autor do livro Liderando a revolução (ed. Campus, 335 págs.), publicado no ano 2000 no Brasil, no qual analisa novos conceitos sobre negócios, identifica critérios organizacionais para a construção de uma empresa atraente para acionistas e expõe medidas que fazem da inovação uma constante nas empresas

Chan Kim e Renée Mauborgne

Autores do livro A Estratégia do Oceano Azul (ed. Campus, 53 reais, 268 págs.), publicado no Brasil em 2005, são professores de estratégia empresarial na Insead, uma das principais escolas de negócios do mundo localizada na França

Kenichi Ohmae, 62 anos

Licenciado pela Universidade de Waseda, em Tóquio, no Japão, fez doutorado em engenharia nuclear no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. Foi sócio da McKinsey & Co no Japão de 1972 a 1995. Seu livro mais recente é O novo palco da economia global (ed. Bookman, 62 reais, 310 págs.), publicado no Brasil este ano. A obra fala sobre como alcançar o sucesso na era da globalização, como indivíduo, empresa e nação

Patrick Dixon

Formado em medicina, já não atua mais na área há uma década. Hoje, é presidente da Global Change, uma consultoria de desenvolvimento organizacional da Inglaterra, e autor de 12 livros, indisponíveis no Brasil. O mais recente é Building a Better Business (ed. Profile Books, 17,51 dólares, 256 págs.), publicado no ano passado. Ele dá consultoria para várias empresas, inclusive Microsoft, IBM e Gillette

Stephen Covey, 73 anos

Com MBA na Universidade de Harvard e doutorado na Universidade Brigham Young, em Utah, no meio- oeste americano, é autor do livro Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes (ed. Best Seller, 39,90 reais, 440 págs.), que já vendeu mais de 13 milhões de exemplares em 36 idiomas diferentes. É co-fundador e vice-presidente da FranklinCovey, uma empresa internacional de consultoria que se dedica principalmente a temas ligados a liderança e a gestão de tempo

Rosabeth Moss Kanter, 62 anos

Professora de administração de empresas na Harvard Business School, nos Estados Unidos, foi editora da Harvard Business Review entre 1989 e 1992. É autora de 16 livros, traduzidos para 17 idiomas. O mais recente é um livro-CD chamado Confidence: how winning streaks & losing streaks begin & end (ed. Abridged, 25,95 dólares, 90 minutos), ainda sem tradução para o português, no qual descreve a cultura de empresas bem-sucedidas

Edward De Bono, 72 anos

Autor de 62 livros, traduzidos para 37 idiomas, já fez palestras em mais de 54 países. Entre suas obras está Novas Estratégias de Pensamentos (ed. Nobel, 68 reais, 248 págs.). Sua especialidade é falar sobre o que há de subjetivo na criatividade e tentar colocar tais pontos em bases mais sólidas

Clayton Christensen

Professor de administração na Harvard Business School, nos Estados Unidos, trabalhou como consultor e gerente de projetos no Boston Consulting Group antes de fundar a Ceramics Process Systems Corporation (CPS), uma indústria de alta tecnologia na área de cerâmica. É autor do livro O dilema da inovação (ed. Makron Books, 62 reais, 261 págs.), publicado no Brasil em 2001, no qual afirma que grandes empresas fracassam porque fazem tudo certo, o que ocorre porque se confrontam com mudanças tecnológicas de ruptura e na estrutura do mercado

Robert Kaplan e David Norton

São considerados os criados do Balanced Scorecard e autores do livro Mapas Estratégicos: Balanced Scorecard (ed. Campus, 95 reais, 504 págs.), publicado no Brasil em 2004. Kaplan é ainda professor de liderança na Harvard Business School, nos Estados Unidos, desde 1984

Peter Senge, 58 anos

Diretor do Center for Organizational Learning at the Massachusetts Institute of Technology (M.I.T.) e presidente da Society for Organizational Learning, ambos nos Estados Unidos. Ele popularizou o conceito de desenvolvimento do talento das pessoas, em benefício das próprias pessoas e da organização com o livro A quinta disciplina: a dança das mudanças (ed. Campus, 139,90 reais, 676 págs.), publicado no Brasil em 1999

Ram Charan

Nascido na Índia, fez MBA na Harvard Business School, nos Estados Unidos., onde deu aula por alguns anos. Atualmente, dedica-se a sua própria consultoria, com sede no Texas. Ele atuou como coaching de diversos executivos, entre eles Jack Welch, ex-presidente da General Electric. Seu mais novo livro é Execução: a disciplina para atingir resultados (ed. Campus, 55 reais, 264 págs.)

Fons Trompenaars

Diretor da Trompenaars Hampden-Turner Intercultural Management Consultancy, com sede em Amsterdã, na Holanda, é também professor visitante da Universidade Erasmus, em Rotterdam. Seu primeiro livro publicado no Brasil é Nas ondas da cultura (ed. Educator, 32 reais, 216 págs.), no qual analisa o impacto de diversas culturas na realização de bons negócios e fala do perigo que as empresas correm por ignorá-los

Russ Ackoff, 86 anos

Estudou arquitetura na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, mas depois de formado passou a se interessar por ciência da filosofia, área em que fez doutorado. É fundador e presidente do Interact - The Institute for

Interactive Management, localizado na Filadelfia. Seu mais recente livro, ainda não publicado no Brasil, é Beating the System: Using Creativity to

Outsmart Bureaucracies (ed. Berrett-Koehler, 14,95 dólares, 175 págs.)

Warren Bennis, 80 anos

Professor de administração na Marshall School, da University of Southern California, nos Estados Unidos, é também fundador e presidente do USC’s Leadership Institute. Escreveu mais de 25 livros sobre liderança. Um dos mais lidos é Líderes: estratégias para assumir a verdadeira liderança (ed. Harbra, 197 págs.), publicado no Brasil em 1988, mas indisponível atualmente

Chris Argyris, 82 anos

Depois de servir na Segunda Guerra Mundial, estudou psicologia na Clark University, nos Estados Unidos. Fez pós-graduação em psicologia e economia na Kansas University e tornou-se PhD em comportamento organizacional. Atualmente é professor de educação e comportamento organizacional na Universidade de Harvard. É autor de 20 livros, entre eles Maus conselhos: uma armadilha gerencial (ed. Bookman, 43 reais, 168 págs.)

Michael Dell, 40 anos

Presidente e fundador da Dell, uma das principais fabricantes de equipamentos de informática, se interessou pelos computadores desde cedo. Aos 15 anos, ganhou o primeiro

Vijay Govindarajan

Professor de negócios internacionais na Tuck School of Business of Dartmouth College, em Hanover, New Hampshire, nos Estados Unidos, é também diretor-fundador do Tuck’s Center for Global Learning. Nascido na Índia, saiu do país rumo aos Estados Unidos para concluir seus estudos nas universidades de Harvard e Michigan. Sua grande contribuição se dá na área de estratégias para negócios globais. O livro de sua autoria publicado mais recentemente no Brasil é Os 10 mandamentos da inovação estratégica (ed. Campus, 59 reais, 300 págs.)

Malcolm Gladwell, 42 anos

Formado em jornalismo, nasceu na Inglaterra e cresceu em Ontário, no Canadá. De 1987 a 1996, trabalhou no Washington Post, como jornalista de ciências. Em 1996, fazia parte da equipe da New Yorker. Seu livro mais recente é Blink: a decisão num piscar de olhos (ed. Rocco, 33,50 reais, 254 págs.), no qual analisa a importância do que chamamos de intuição

Manfred Kets de Vries

Professor na área de gestão de recursos humanos na Insead, uma das principais escolas de negócios do mundo localizada na França, estudou economia na Universidade de Amsterdã, na Holanda, e fez MBA na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Dá aulas na McGill University, no Canadá, e na Harvard University, nos Estados Unidos. É autor de mais de 20 livros, entre eles O poder e a mente empresarial (ed. Thomson Learning, 39 reais, 226 págs.). Publicado no Brasil em 1981, o livro usa estudos de casos que abrangem desde as grandes organizações às pequenas empresas familiares, desde a burocracia governamental às entidades não-lucrativas, para mostrar o efeito crucial que a personalidade do executivo-chefe exerce sobre as organizações e a sociedade

Rakesh Khurana, 38 anos

Professor da Harvard Business School, nos Estados Unidos, oferece como sua maior contribuição ao mundo da administração o livro Searching for a corporate savior: the irrational quest for charismatic CEOs (ed. Princeton University Press, 47,50 dólares, 320 págs.), ainda sem tradução para o português

Lynda Gratton, 50 anos

Professora de práticas gerenciais na London Business School, na Inglaterra, afirma que a área de recursos humanos das empresas deve tratar de gerenciar seres humanos com uma multiplicidade de talentos e medos. No livro Living strategy: putting people at the heart of corporate purpose (ed. Financial Times Prentice Hall, 256 págs.)ainda não publicado no Brasil, diz que a frase 'nossas pessoas são nosso maior bem' não deve ser apenas um cliché

Alan Greenspan Alan-Greenspan-Age-of-Turbulence Oct-07 , 79 anos

Presidente do U.S. Federal Reserve, o banco central americano, de 1987 até 2005, trabalhou por três décadas na Townsend-Greenspan & Company, uma consultoria econômica em Nova York. É também consultor econômico de diversas empresas públicas e privadas

Edgar Schein, 77 anos

Ex-professor de psicologia organizacional e administração no Massachusetts Institute of Technology (M.I.T.), nos Estados Unidos, está aposentado agora e dá aulas apenas em parte de seu tempo. Fez doutorado em psicologia social em Harvard e é considerado o primeiro a cunhar o termo cultura corporativa no livro Organizational Culture and Leadership (ed. Jossey-Bass, 448 págs.), publicado em 1985 e indisponível no Brasil

Ricardo Semler, 46 anos

Nasceu em São Paulo e desde 1980 é presidente da Semco, empresa com sete subsidiárias no setor de serviços, maquinário e softwares. Seus métodos e convicções foram divulgados em todo o mundo através do Virando a própria mesa (ed. Rocco, 36 reais, 231 págs.), publicado em 1988 e no qual apresenta pontos de vista que propõem reformular a empresa familiar, tão tradicional no Brasil

Don Peppers

Co-fundador da Peppers & Rogers, uma consultoria especializada em comportamento do consumidor, é conhecido como o pai do fenômeno CRM (customer relationship management). No Brasil, tem publicado o livro O gerente um a um (ed. Campus, 48 reais, 254 págs.), no qual mostra que as empresas estão vivendo uma nova era do relacionamento com os clientes

Paul Krugman, 52 anos

Professor de economia e negócio internacional em Princeton, é autor do livro Economia internacional: teoria e política (ed. Addison Wesley, 119 reais, 576 págs.), no qual mostra os avanços mais recentes e importantes da economia internacional

Jeff Bezos

Estudou ciência da computação e engenharia eletrônica em Princeton e foi vice-presidente da empresa de investimento D. E. Shaw. É o criador da Amazon, a maior loja online do mundo

Andy Grove, 69 anos

Nascido em Budapeste, na Hungria, é, atualmente, consultor senior da Intel, fabricante de processadores, e professor na escola de negócios de Stanford, nos Estados Unidos

Daniel Goleman, 59 anos

Escritor e conferencista nas áreas de psicologia e liderança, é autor do best seller Inteligência Emocional (ed. Objetiva, 45,90 reais, 380 págs.)

Leif Edvinsson, 59 anos

Professor de capital intelectual na Lund

University, na Suécia, foi o primeiro a ter esse título acadêmico. É também CEO da Universal Networking Intellectual Capital e autor do livro Capital intelectual (ed. Makron Books, 220 págs.), publicado em 1998 no Brasil e atualmente fora de catálogo

James Champy

Co-fundador da Index, uma consultoria empresarial de sucesso atualmente com o nome de CSC Index. Mais tarde se uniu a Perot Systems, onde é consultor. É autor dos livros Reengenharia (ed. Campus, 204 págs.), indisponível no Brasil, e Reengenharia da gerência: o mandato da nova liderança (ed. Campus, 33 reais, 219 págs.)

Rob Goffee e Gareth Jones

Goffee é professor de comportamento organizacional na London Business School, na Inglaterra. Jones é professor na Insead, uma das principais escolas de negócios do mundo localizada na França. São autores do livro Quem Disse que Você Pode Liderar Pessoas? (ed. Campus, 206 págs.), não disponível atualmente

Naomi Klein, 35 anos

Jornalista canadense, é conhecida pelo livro Sem logo: a tirania das marcas em um planeta vendido (ed. Record, 59,90 reais, 544 págs.), no qual disseca as campanhas publicitárias e as corporações por trás das mais conhecidas marcas, mostrando histórias curiosas e distorções

Geert Hofstede, 77 anos

Membro do Institute for Research on Intercultural Cooperation (IRIC) e do Center for Economic Research, na Universidade Tilburg, na Holanda, é também professor de antropologia organizacional e negócios internacionais na Universidade Maastricht

Larry Bossidy, 71 anos

Em 1957, entrou como trainee na General Electric (G.E.) e lá chegou a ocupar diversos cargos executivos. Em 1991, tornou-se CEO da Allied Signal. Junto com Ram Charan, é autor do livro Execução: a disciplina para atingir resultados (ed. Campus, 55 reais, 264 págs.)

Costas Markides, 45 anos

Nascido no Chipre, uma ilha no Mar
Mediterrâneo, é atualmente professor de liderança estratégica na London Business School, na Inglaterra. Uma de suas grandes contribuições para o mundo da administração é o artigo To Diversify Or Not To Diversify?, publicado em 1997 na Harvard Business Review, no qual discute questões-chave sobre a diversificação nos negócios

Geoffrey Moore

Diretor o The Chasm Group, uma empresa de consultoria estratégica para empresas de alta tecnologia, levou o marketing para a era da tecnologia. No livro Crossing the Chasm (ed. HarperBusiness, 256 págs.), de 1991 e indisponível no Brasil, ele mostra o que as empresas de tecnologia fizeram para ir para o outro lado do precipício